segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

3a Feira 14o Dia de Escuta


Faíscas e Labaredas
Marcos 3:20-35;1 Coríntios 5:1-8

Quando o orgulho galopa na frente, vergonha e sofrimento o seguem de perto
Luis XI

O orgulho é um dos males que destrói a harmonia do ser humano com tudo que está em volta dele. Destrói sua harmonia com Deus, pois a natureza de Deus em Cristo foi de humildade e simplicidade, destrói a harmonia com o próximo, e destrói a harmonia consigo, pois se coloca sempre em condição superior.  Jesus afirma que aquele que serve é quem de fato entende o propósito de Deus, pois o entendimento de que nada somos nos leva a dependência de Deus e esse é o nosso estado de consciência.
O evangelho de hoje nos mostra uma situação que se tornou corriqueira ao longo de seu ministério, a perseguição, as acusações e as calúnias contra a si. Jesus é acusado de ser movido pelo espírito de “Belzebú” que traduzido traz o sentido de “Senhor da imundície”. O Filho de Deus, o Santo dos santos, o Rei dos reis é desta forma desqualificado por esses líderes religiosos, mestres da lei. O que levaria esses homens a dizer isso? Que mal havia Jesus feito a eles? Nenhum, na realidade, Jesus estava colocando em cheque a postura hipócrita daqueles líderes e destronando a sua religiosidade formal e distante de uma verdadeira ligação com deus. Seguidores de regras, liturgias e normas, se sentiram ultrajados e ameaçados pela sinceridade espiritual de Jesus e a simplicidade de sua mensagem.
O orgulho tomou conta deles, se consideravam especiais, escolhidos, exclusivos e esse foi talvez o principal de seus males que bloqueou toda possibilidade de compreenderem o momento de Deus para eles através do evangelho de Jesus Cristo. Alguém já disse que “o orgulho é uma flor que cresce no jardim de satanás”.
Religiosos tendem a ser orgulhosos, cristãos tendem a ser humildes, religiosos se baseiam em regras e tradições, cristãos se baseiam em amor e compaixão, religiosos são facilmente laçados pelo orgulho, cristãos ainda tem o valor do sentimento de pequenez que os coloca na dependência de Deus e alvo de Sua imensa misericórdia.
Davi, foi valente, foi pecador, foi errante, mas  a sua humildade diante de Deus quando reconheceu suas fraquezas confessando-as constantemente o deixou conhecido como homem segundo o coração de Deus. Observe que isso foi decisivo em sua diferenciação com Saul que tinha todos os requisitos para ser um grande rei e ter marcado a história de maneira positiva, mas ao contrário, pelo seu orgulho e independência é lembrado como aquele que saiu da presença e da vontade de Deus e sendo assim foi amaldiçoado é tido como antítese da vontade de Deus até os dias de hoje, e o será para sempre.
A carta aos coríntios vai trazer a narrativa de atos pecaminosos entre os cristãos naquela cidade, eram atitudes inconcebíveis para aqueles que se diziam cristãos e Paulo os repreende veementemente. Mas atente para a exortação de Paulo, perceba por onde ela começa: “O orgulho de vocês não é bom” por isso afirmei antes que  o orgulho é uma das principais raízes de todos os males. Quando Paulo diz que um pouco disso pode levedar toda massa semelhante ao fermento, para mim somente confirma que uma faísca de orgulho é tão poderosa quanto a maior labareda do mal saída de uma legião de demônios.
Hoje você está diante de um ensinamento que em muito pode lhe ajudar na sua caminhada como cristão(ã). Deus nos chamou para liderar esse mundo, o mandato cultural registrado no início do livro de Genesis mostra isso, somos aquele que podem fazer diferença nesse mundo, mas para isso temos que usar o fermento novo, o amor e deixarmos o fermento velho o legalismo que desemboca em orgulho e pecado.
O fermento novo é visto em nós quando agimos como Jesus, em humildade e reconhecimento de nossa fragilidade, em amor e consciência de nossa imensa dependência e incapacidade por nós mesmo de fazer qualquer coisa. Paulo mesmo disse a esses mesmos coríntios (2 Co 3:5-6), que fomos chamados para sermos ministros de uma Nova Aliança, mas essa Nova Aliança não é da letra, esse é o fermento velho e sim do Espírito, esse é o fermento novo que vem do coração de Deus. Nesse mesmo texto ele diz que não somos capazes por nós mesmo de fazer ou de pensar coisa alguma, mas a nossa capacidade vem de Deus, nos mostrando que se entendermos isso, afastamos qualquer possibilidade do orgulho de se aproximar de nós e assim viveremos segundo o coração de Deus.
Decida hoje que em sua vida será assim, tenha discernimento para perceber as faíscas do orgulho e delas se desvencilhar para que as labaredas do mal se mantenham longe de você sempre.

Minha Oração

Senhor, nada mais te peço hoje além do desejo de meu coração de ver  as faíscas do orgulho distantes de meu coração, me ajude nisso. Amém



Um comentário:

Joaquim Guimaraes disse...

Meu querido Pastor , só como sugestão ,que você acha de criar um espaço nesse maravilhoso BLOG , do nosso PAES PARA VOCÊ. Que esse ano completa seis anos de atividades , em parceria com a LIVRARIA SARAIVA.Esse ano o Paes Para Você inclusive rompendo fronteiras , fevereiro e março no no SHOPPING RIOMAR . um presente de nosso Deus .Temos também um Novo projeto para o SHOPPING RIOMAR para 2013 no ESPAÇO JOÃO CABRAL DE MELE NETO , com um formato diferenciado do PAES PARA VOCÊ. BASTANTE INTERESSANTE.