quinta-feira, 14 de março de 2013

6a Feira 31o Dia de Escuta


 
Glória e Adversidade
Marcos 9:2-13;1 Coríntios 12:27-13:3
O discipulado de Jesus tem de ser vivido na realidade do mundo

Dietrich Bonhoeffer
 
É bem verdade que Jesus acabou de ministrar sobre o que significava segui-lo, e vimos que não era simplesmente aderir a um discurso, mas entrar na essência desse discurso(mensagem) através de uma conduta que exige negação de si mesmo. Perceba que depois de ministrar sobre isso no texto anterior ele diz que alguns dali não morreriam sem ver com poder o Reino de Deus. Pois bem , aqui estava o que ele estava se referindo. Pedro, Tiago e João foram esses privilegiados que viram com poder a glória do reino de Deus. A cena da transfiguração de Cristo foi algo celestial jamais visto por qualquer olho humano exceto por esses três discípulos. Foi uma visão, um presente, um momento de fortalecimento pois ao serem ministrados sobre o difícil caminho  que os aguardava ao mesmo tempo foram privilegiados antevendo a glória do Reino de Deus.
Este episodio nos mostra a realidade do grandioso Plano de Deus trazendo Jesus no centro representando o cumprimento da promessa de Deus ladeados por Elias que representava ali os profetas e por Moisés que representava a Lei, além dos próprios Pedro, Tiago e João representando o povo de Deus, chamado e amado por Ele mesmo. Além disso a nuvem que sempre representou a presença de Deus e por fim a voz do alto confirmando esse é meu filho amado, ouçam-no !
O caminho não e de facilidades, a porta é estreita, a negação de si é uma condição fundamental, mas essa é a realidade do Reino de Deus uma glória “indizível” uma realidade que a nossa humanidade comum tem dificuldade de compreender. Aqueles homens precisavam daquele momento para enfrentar o que eles estavam prestes a enfrentar dali em diante.
Não vejo como muito diferente daquilo que nós muitas vezes experimentamos, mesmo sendo em uma dimensão que imaginamos ser de menor grandeza, é tão importante vivermos as experiências com Deus, aqueles momentos onde a Sua presença é quase palpável. Esses momentos servem de fortalecimento pois a vida cristã normal se vive diante de muitos obstáculos e das dificuldades que este mundo nos coloca quase que diariamente, situações que insistem em provar a nossa fé, insultar nossa crença, provocar nossa boa vontade.
Quando conheci a Cristo, dentro da Universidade, me perguntavam se eu poderia provar isso ou aquilo, e eu sempre dizia e continuo dizendo, não posso provar muita coisa e não me interessa fazê-lo, no entanto a experiência que eu vivi com Cristo ninguém pode me provar que não foi real, ninguém, mesmo que tente, pode insinuar que foi algo apenas de meu coração, um choque emocional... já tive alguns desses e sei que meu encontro com Cristo foi uma experiência real, inigualável, inegável que , claro envolveu meu coração, mas foi complementada por todo meu ser , corpo, alma e espírito e disso eu não abro mão.
Meditando nessa passagem, pense nisso, escute oque Deus está lhe dizendo, valorize cada experiência que tenha com Deus, observe as experiências dos santos, e tenha tudo isso como uma reserva de motivação para  aqueles momentos onde a porta se estreita, o caminho se complica, o mar parece que não vai se abrir e firmados naquilo que você vive com Deus possa estar firme na caminhada. E você escutará aquela voz que dirá da mesma forma “Este é o meu Filho amado. Ouçam-no!”
O apóstolo segue sua ministração aos coríntios e traz o ensino ainda centrado na Igreja como Corpo de Cristo, onde cada membro tem seu papel, agora, Paulo afirma que Deus distribuiu dons para o bom funcionamento desse corpo e cada pessoa será sempre equipada com um dom  e ninguém terá todos os dons. E creio que facilmente podemos compreender que Deus em sua sabedoria não nos daria todos os dons pois assim nos bastaríamos e isso é antítese daquilo que Deus, desde o inicio procurou fazer com o ser humano, fomos criados como seres sociais que precisamos dos outros para viver. A vida humana e uma interação e na proposta de restauração de Deus em Cristo isso é um ponto decisivo, o poeta norte americano já dizia que nenhum homem e uma ilha em si mesmo... e essa conclusão não saiu do nada senão da própria essência que Deus colocou dentro de cada um de nós.
Talvez você esteja necessitando se descobrir dentro dessa realidade, talvez ainda seja preciso que você conheça mais de si mesmo para perceber aquilo que Deus tem reservado para sua vida e qual o seu papel dentro desse corpo místico chamado Igreja de Jesus Cristo. Mas uma coisa você sabe e hoje passa a ter certeza, quando Deus disse “ouçam-no” isso envolveria uma negação de si mesmo, um caminho a trilhar, um dom para se capacitar, uma missão para realizar e uma Glória para contemplar. Firme-se nisso e a nuvem de adoração possa lhe envolver.
 
Minha Oração
Jesus, que aminha vida seja um instrumento em tuas mãos e que a cada dia olhando em volta de mim e para minha própria vida eu posa ter sempre a convicção inabalável de que em todo tempo Tu estas comigo.

 

 

2 comentários:

Falcão disse...

Eh sempre bom começar o dia com um texto inspirado assim!

Rodrigo Cavalcanti disse...

os texto e reflexões desta semana, particularmente, tem sido confrontadoras. Me colocando diante de velhas questões e novas escolhas.

Deus continue lhe abençoando.